segunda-feira, 31 de outubro de 2011

Coldwater Classic - Miguel vence mais uma.

Por Redação Waves - 31/10/11 - 19:29 - link fonte:

Brasileiro leva US$ 40 mil pela vitória e mais US$ 50 mil pelo título do O'Neill Coldwater Series. Foto: Divulgação O'Neill.

O brasileiro Miguel Pupo conquistou o título do O'Neill Coldwater Classic 2011, etapa de nível Prime do circuito mundial encerrada neste domingo no pico alternativo de Waddell Creek, Santa Cruz, Califórnia (EUA).

Em ondas de meio metro, Miguel derrotou o português Tiago Pires pelo placar de 18.93 a 11.20 na decisão. Pela vitória, sua segunda em etapas Prime nesta temporada, ele fatura o cheque de US$ 40 mil, além de 6.500 pontos no ranking unificado da ASP.

De quebra, Miguel ainda leva o título geral das três etapas do O'Neill Coldwater Series (as outras foram realizadas na Nova Zelândia e Escócia) e no total engorda a conta bancária em US$ 90 mil.

Derrotado por Miguel Pupo na semifinal, o catarinense Willian Cardoso também fez bonito em Santa Cruz e terminou em terceiro na etapa, com US$ 11 mil e 4.225 pontos no ranking.
Já Tiago Pires, que na outra semifinal derrotou o sul-africano Jordy Smith em uma disputa de poucas boas ondas surfadas, leva US$ 20 mil e 5.200 pontos pelo segundo lugar.

Campeão de outra etapa Prime, realizada em Trestles no mês de maio, Miguel deu poucas chances ao experiente Tiago Pires na grande final. Com notas 9.33 e 9.60, ele deixou o português em combinação de notas, precisando de 17.84 pontos.

Miguel Pupo derrota Tiago Pires na decisão do O'Neill Coldwater Classic em Santa Cruz (EUA). Foto: Divulgação O'Neill.

O jovem brasileiro foi de longe o melhor no último dia de campeonato na gelada Santa Cruz. Até chegar ao topo do pódio, ele anotou quatro das dez melhores notas de todo o evento com muita inspiração nos aéreos de frontside.

Depois de vencer o duelo brasileiro contra Raoni Monteiro pela quinta fase, Miguel Pupo despachou o norte-americano Nat Young, atual vice-campeão mundial Pro Junior, com o maior somatório do torneio.

Nos minutos finais de bateria, Miguel mesclou batidas e aéreos de frontside para arrancar duas notas 9.57 seguidas e sair das quartas-de-final com o maior somatório de todo o Coldwater Classic, 19.14 pontos.

O duelo semifinal contra Willian Cardoso começou equilibrado, com os dois empatados com nota 6.00 como melhor onda. Mas não demorou para Miguel atacar por cima e arrancar nota 8.50 com um aéreo acrobático de frontside. O paulista ainda anotou mais 6.84 pontos para vencer por 15.33 a 8.80.

Agora Miguel Pupo, Tiago Pires e Jordy Smith seguem para São Francisco, onde a partir de terça-feira começa a décima e penúltima etapa do World Tour 2011.
Já a próxima etapa Prime do circuito mundial acontece entre os dias 12 e 23 de novembro em Haleiwa, Hawaii.

Resultado do O'Neill Coldwater Classic 2011

1 Miguel Pupo (Bra)
2 Tiago Pires (Por)
3 Willian Cardoso (Bra)
3 Jordy Smith (Afr)
5 Josh Kerr (Aus)
5 Nic Muscroft (Aus)
5 Nat Young (EUA)
5 Dusty Payne (Haw)
9 Raoni Monteiro (Bra)
13 Tomas Hermes (Bra)
13 Wiggolly Dantas (Bra)
25 Thiago Camarão (Bra)
37 Hizunomê Bettero (Bra)
73 Jessé Mendes (Bra)
73 Jano Belo (Bra)
73 Junior Faria (Bra)
73 Yuri Sodré (Bra)
73 Gabriel Medina (Bra)
73 Jerônimo Vargas (Bra)
73 Alejo Muniz (Bra)

ASP Men's World Ranking 2011 depois de 35 etapas

1 Kelly Slater (EUA) - 69.000 pontos
2 Owen Wright (Aus) - 49.400
3 Jordy Smith (Afr) - 48.450
3 Taj Burrow (Aus) - 48.450
5 Adriano de Souza (Bra) - 46.700
6 Joel Parkinson (Aus) - 46.600
7 Julian Wilson (Aus) - 45.700
8 Jeremy Flores (Fra) - 40.570
9 Michel Bourez (Tah) - 36.900
10 Gabriel Medina (Bra) - 36.620
11 Bede Durbidge (Aus) - 35.700
12 Mick Fanning (Aus) - 35.399
13 Josh Kerr (Aus) - 35.369
14 Alejo Muniz (Bra) - 35.199
15 Damien Hobgood (EUA) - 34.570
16 Heitor Alves (Bra) - 31.445
17 Adrian Buchan (Aus) - 30.641
18 Miguel Pupo (Bra) - 29.711
19 Raoni Monteiro (Bra) - 28.703
20 Tiago Pires (Por) - 24.450
21 Taylor Knox (EUA) - 24.300
22 Jadson André (Bra) - 23.640
23 John John Florence (Haw) - 23.516
24 Dusty Payne (Haw) - 22.625
25 Fredrick Patacchia (Haw) - 22.120
26 Kolohe Andino (EUA) - 21.745
27 CJ Hobgood (EUA) - 21.700
28 Kai Otton (Aus) - 21.650
29 Brett Simpson (EUA) - 21.600
30 Chris Davidson (Aus) - 21.208
31 Travis Logie (Afr) - 21.117
32 Matt Wilkinson (Aus) - 20.900
32 Kieren Perrow (Aus) - 20.900
34 Patrick Gudauskas (EUA) - 20.770
36 Willian Cardoso (Bra) - 19.790
38 Thiago Camarão (Bra) - 18.810
42 Jessé Mendes (Bra) - 18.342
46 Hizunomê Bettero (Bra) - 14.737
49 Junior Faria (Bra) - 14.210

A Festa Surf Music ocorre no próximo dia 1º.

Por Priscila Ribeiro - 31/10/2011 - link fonte:


A Festa SURF MUSIC tem como meta reunir todos que, de alguma forma, estejam ligados à cena do surf cearense para um momento especial de confraternização.

Na ocasião, serão homenageados com a entrega do Troféu “Festa SURF MUSIC” as personalidades, empresas (marcas e lojas), atletas e entidades que mais contribuíram para o crescimento do surf cearense no ano de 2011. O objetivo principal é fazer com que a festa se torne anual e seja inserida no calendário oficial de eventos da cena do surf no Estado.
Atrações: Show da Banda Town In; DJ’s Doido e Mahatma; Projeções de vídeos e imagens de surf no telão e nas TV’s da casa; Ambientação.

A banda TOW IN nasceu de uma idéia do surfer e músico Paulinho Freitas de juntar seus dois grandes amores (surf e música) e atender a um público que até então não tinha nem mesmo como ouvir suas músicas preferidas, aquelas dos vídeos e filmes de surf que assistiam. Dessa idéia, fluiu a banda TOW IN, com o melhor do surf music e com a cara do surf bem representada no Estado do Ceará. A banda já se apresentou em: Fernando de Noronha, Ponta Negra, Taíba, Paracuru, entre outros inúmeros picos de surf. Com duas tournês pela Europa, a TOW IN já mostrou seu som em Baden (Suíça), com uma grande aceitação do público do snow board. Este ano, os planos são de gravar o CD autoral, já esperado há algum tempo pelo público.

• Promoções: Os 200 (duzentos) primeiros ingressos ganham grátis 1 cerveja e concorrem a sorteio de 1 kit surf e 1 prancha. Os 100 (cem) primeiros ingressos ganham 1 brinde exclusivo Free Board.

Créditos
Realização: Letra Viva/San Eventos/Buoni Amici’s
Produção: Franciscus Galba/Gean Clebis (San)
Patrocínio: Smolder Energy Drink/Free Board
Apoio: Top 16 Promoções/Federação Cearense de Surf/Cerveja Eisenbahn/Whisky Famous Grouse/Massara Boards/D’cofibras
Promoção: Jornal O Povo/Site Ceará Surf

Serviço:
Início do evento: a partir das 22:00 horas
Ingressos no local: R$ 20,00 grátis 1 cerveja
Endereço: Rua Dragão do Mar, 80 (Centro Cultural)
Informações: 3219.5454 - www.buoniamicis.com.br

Obs.: Não é permitida a entrada de menores de 18 anos.


Erbeliel Andrade fatura a 3ª etapa do Cearense de Surf PRO 2011.

Por George Noronha - 31/110/11 - 18:53. - link fonte:

Pódio Pro - Fotos Paulo Roberto.


O paraibano Erbeliel Andrade faturou o título da 3ª Etapa do Cearense Profissional, que foi realizado no último fim de semana, 29 e 30 de outubro, na paradisíaca Praia da Taíba, Litoral Oeste do estado do Ceará, município de São Gonçalo do Amarante.

Desde o sábado Erbeliel já dava sinais que não estava ali para brincadeira. E foi explorando uma de suas maiores armas, as manobras aéreas, que ele foi trilhando seu caminho até a final onde encerrou sua participação de forma arrebatadora superando nada menos que o campeão brasileiro de 2009, Messias Félix, o Mr. Taíba, que teve de se contentar com a segunda colocação.

O paraibano não se intimidou com os ataques de seus adversários e provou que tem talento de sobra para bater os melhores surfistas do Brasil. Que o diga Messias Félix, que mesmo tendo cravado a maior nota da competição ainda no sábado, 9.85, não foi capaz de superar o paraibano que marcou nada menos que um 9.50 na final para computar o maior somatório da competição, 18 pontos de 20 possíveis, sepultando qualquer intenção de seus adversários de superá-lo.

Messias tentou mais bateu na trave - Fotos Paulo Roberto.

Como foi o caso do Mr. Taíba, Messias Félix, que mesmo tendo feito várias investidas e surfado muito, não conseguiu repetir suas memoráveis atuações nessas ondas, e também Betinho Rosa, que tem na Taíba sua segunda praia e mesmo assim não conseguiu sair vitorioso da etapa tendo de se contentar com a terceira colocação. Completando o pódio tivemos o atleta potiguar Jackson Silva, que apesar de ter cravado um 9.25 na segunda fase da competição, não conseguiu repetir o feito e terminou em quarto.

Erbeliel nos braços da rapaziada - Fotos Paulo Roberto.

“Não tenho palavras para dizer o que estou sentindo. O Ceará é minha segunda casa. Gosto muito de vir para cá, seja para competir ou simplesmente para treinar. Essa vitória foi muito importante, pois, agora deverei subir na classificação e chegar à etapa final em uma situação mais confortável”, declarou Erbeliel deixando bem claro que irá lutar até o fim pelo título de campeão cearense. Com o resultado Edvan Silva continua a liderar o circuito mantendo vivo o sonho de conquistar o inédito Tetracampeonato Cearense de Surf Profissional garantindo fortes emoções para a etapa do encerramento do estadual da modalidade.

Outro fator que promete adicionar muita adrenalina à última etapa é a inédita vaga para o BSP, o circuito brasileiro de surf profissional, oferecida ao melhor cearense na competição. Isto significa que, mesmo que um atleta visitante seja o vencedor do circuito, a vaga irá para o melhor dentre todos os cearenses.

Na categoria Pro Junior aconteceu o que já se esperava. Michael Rodrigues venceu mais uma e sagrou-se Campeão Cearense Pro Junior 2011 por antecipação. Ele chegou na Taíba como líder absoluto por ter vencido as duas primeiras etapas do circuito ele nem precisaria vencer essa terceira etapa para conquistar o título. Bastava-lhe uma combinação de resultados. Mas, ele não quis nem saber e não deu chance a seus adversários vencendo a etapa para conquistar o título com um raro arrastão, marcando uma nova era para a nova geração do surf cearense.

Em segundo ficou o surfista da Praia da Abreulândia, Adiano dos Santos, que mesmo não tendo conseguido vencer, comemorou muito o resultado, sobretudo por ter recentemente se recuperado de uma lesão que o afastou dos pódios durante alguns meses. Em terceiro ficou o talentoso potiguar Jackson Silva, com Ícaro Lopes na quarta colocação completando o pódio. “Estou muito feliz com essa conquista. Deus tem sido muito bom para mim e tenho certeza que vou me lembrar desse ano para o resto de minha vida. Meus planos agora é continuar minha caminhada em busca de me tornar um atleta profissional. Espero continuar merecendo as graças que Deus tem me concedido em forma de vitórias e conquistas para mim, para o Brasil e claro, para eu estado”, declarou Michael Rodrigues.

Agora, o circo do Cearense Pro vai para o município de Paracuru entre os dias 02 e 03 de dezembro, onde conheceremos, nas ondas da Praia do Ronco do Mar, o nome do grande campeão cearense de surf profissional 2011. Muitas emoções estão guardadas para a última etapa do certame estadual de surf já que com o resultado da Taíba, vários atletas encostaram no líder Edvan Silva com chances reais de disputar o título que provavelmente só vai ser definido ao toque da sirene da final da última etapa.

Resultado da Profissional

1º Erbeliel Andrade - PB
2º Messias Félix
3º Betinho Rosa
4º Jacson Silva - RN

Resultado da Pro Junior

1º Michael Rodrigues
2º Adriano Santos
3º Jackson Silva - RN
4º Icaro Lopes

segunda-feira, 24 de outubro de 2011

Quiksilver Brasil Open - Hizu é vice no Arpex (RJ)

Por: João Carvalho - 24/10/11- - 14:00 - link fonte:

Kolohe Andino fatura o segundo caneco consecutivo no Brasil. Foto: Pedro Monteiro.


Com um surf moderno e amplo repertório de aéreos, Kolohe Andino, 17, venceu o ubatubense Hizunomê Bettero na bateria final e sagrou-se campeão do Arnette apresenta Quiksilver Brasil Open of Surfing, encerrado neste domingo no Arpoador, Rio de Janeiro (RJ).

Nova sensação do surfe norte-americano, o jovem também venceu o SuperSurf Internacional na semana passada em Ubatuba (SP) e depois da dobradinha, entrou no grupo dos 32 surfistas que formarão a elite do ASP World Tour em 2012.

"Foi uma final muito difícil. Sabia que estava enfrentando um grande surfista. Pegamos boas ondas e ele liderou grande parte do tempo. Achei que não fosse conseguir virar. Quando as séries voltaram, apostei nos aéreos e fiz duas boas notas nas direitas”, conta Andino, que embolsou U$S 20 mil e praticamente confirmou sua vaga ao alcançar o 24o lugar no ASP World Ranking.

"O Brasil é lindo, as pessoas são hospitaleiras, a comida é boa e as ondas maravilhosas. Os resultados foram excelentes. Consegui subir no ranking, mas não parei para pensar nisso e ainda não me sinto no ASP Tour. Vim para cá pensando em surfar, me divertir e consegui vencer duas competições. Portanto, o pensamento continua o mesmo”, completa Kolohe.

Final Na bateria decisiva, Hizu largou na frente com uma nota 7.50 pontos contra 4.83 pontos do americano. Logo depois Kolohe pegou uma esquerda longa, mandou bem (8.83) e assumiu a ponta. Ele ainda surfou outra onda rápida (7.67) e disparou na dianteira. O ubatubense voltou para a briga com uma ótima onda: mandou quatro manobras, finalizou com um aéreo rodando perfeito e levantou a torcida na areia (9.07).

Com apenas três ondas surfadas por cada um, o americano ficou precisando de 8.25 pontos para retomar a ponta. Depois de um remanso de aproximadamente 5 minutos, Kolohe pegou uma fraca, errou a segunda manobra e deixou a prioridade para o brasileiro.

Hizunomê Bettero manda bem e termina na segunda colocação. Foto: Aleko Stergiou.

Hizunomê esperou pacientemente pela entrada de uma da série maior. O americano pegou várias no inside e usou a mesma tática de mandar aéreos na beira que lhe rendeu a vitória na semifinal contra o carioca Leonardo Neves. De tanto insistir, achou uma boa esquerda, variou rasgadas e batidas, mas a nota saiu (7.70) insuficiente.

O ubatubense só pegou outra onda – uma esquerda que fechou - quando faltavam 8 minutos para o término. A direita sobrou para Kolohe, ele usou sua arma mortal (aéreo rodando perfeito), cravou 8.40 pontos e virou o placar.

Agora era o brasileiro que precisava correr atrás de 7.66 pontos nos minutos finais. Hizunomê escolheu uma esquerda, mandou três manobras fortes, mas os juízes deram nota 7.40 pontos. Não satisfeito, o americano achou outra direita, mandou um aéreo reverse de grab, arrancou 9.10 pontos e sacramentou a vitória (17.50 x 16.57).

"Fiz o meu melhor. Achei uma onda muito boa, mandei quatro manobras, acertei um aéreo e recebi 9.07 pontos. Enquanto ele em um único aéreo tirou quase a mesma nota. Mesmo assim estou feliz pelo resultado. Fazia tempo que não chegava em uma final de etapas do mundial. Vou continuar batalhando em busca das vitórias", promete Hizu, que embolsou U$S 10 mil e subiu da 52a para a 48a posição no ranking unificado da ASP.

Já o campeão Kolohe Andino ingressou no G 32 do ASP World Ranking quando derrotou o paulista Thiago Camarão nas quartas-de-final pela segunda vez consecutiva. Os dois haviam se enfrentado nesta mesma fase no SuperSurf Internacional em Ubatuba.

Na semifinal, o americano eliminou Leonardo Neves, último carioca da competição. O resultado foi contestado e recebeu vaias da platéia presente na praia. Léo precisava de 7.07 pontos para virar, achou uma onda boa nos instantes finais e acabou fora da decisão depois de fazer 7.00 pontos.

"O resultado é contestável. Kolohe deu um aéreo pequeno na beira, a manobra não foi muito expressiva e obteve 6.80 pontos. Ou seja, quase a mesma nota da minha última onda onde acertei quatro batidas fortes. Sei que fiz uma boa campanha no campeonato. Perdi a oportunidade de vencer esta etapa. Enfim, estou feliz pelo terceiro lugar", comenta Neves.
Arnette World Junior Leonardo Neves, 31, dividiu o terceiro lugar no pódio do Quiksilver Brasil Open com Filipe Toledo, 16, o mais jovem dos semifinalistas

Atual campeão sul-americano Sub 20, Filipinho será um dos destaques do Brasil no Quiksilver apresenta Arnette ASP World Junior Championship, segunda etapa do Circuito Mundial Pro Junior da ASP, que começa nesta segunda-feira também no Arpex.

"Estou muito feliz com esse resultado. É disparado meu melhor como profissional. Foi muito legal fazer a semifinal com o Hizunomê, conterrâneo e grande amigo”, diz o filho do bicampeão brasileiro Ricardo Toledo.

Resultados do Arnette apresenta Quiksilver Brasil Open of Surfing

1 Kolohe Andino (EUA)
2 Hizunomê Bettero (Bra)
3 Leonardo Neves (Bra)
3 Filipe Toledo (Bra)
5 Thiago Camarão (Bra)
5 Bino Lopes (Bra)
5 Thiago Guimarães (Bra)
5 Jessé Mendes (Bra)
9 Pedro Henrique (Bra)
9 Marcio Farney (Bra)
9 Keanu Asing (Haw)
9 Mitch Crews (AUS)

G-32 do ASP World Ranking 2011 depois de 40 etapas

1 Kelly Slater (EUA) - 69.000 pontos
2 Owen Wright (AUS) - 49.400
3 Taj Burrow (AUS) - 48.450
4 Adriano de Souza (Bra) - 46.700
5 Joel Parkinson (AUS) - 46.600
6 Jordy Smith (Afr) - 46.025
7 Julian Wilson (AUS) - 45.700
8 Jeremy Flores (Fra) - 40.570
9 Michel Bourez (Tah) - 36.900
10 Gabriel Medina (Bra) - 36.620
11 Bede Durbidge (AUS) - 35.700
12 Mick Fanning (AUS) - 35.399
13 Alejo Muniz (Bra) - 35.199
14 Heitor Alves (Bra) - 34.895
15 Damien Hobgood (EUA) - 34.570
16 Josh Kerr (AUS) - 33.999
17 Adrian Buchan (AUS) - 30.641
18 Raoni Monteiro (Bra) - 27.845
19 Matt Wilkinson (AUS) - 25.650
20 Miguel Pupo (Bra) - 24.753
21 Taylor Knox (EUA) - 24.300
22 Jadson André (Bra) - 23.640
23 John John Florence (Haw) - 23.516
24 Fredrick Patacchia (Haw) - 22.120
25 Dusty Payne (Haw) - 21.975
26 Kolohe Andino (EUA) - 21.742
27 C. J. Hobgood (EUA) - 21.700
28 Kai Otton (AUS) - 21.650
29 Brett Simpson (EUA) - 21.600
30 Yadin Nicol (AUS) - 21.371
31 Chris Davidson (AUS) - 21.208
32 Travis Logie (Afr) - 21.117
37 Thiago Camarão (Bra) - 18.810
41 Jessé Mendes (Bra) - 18.342
43 Willian Cardoso (Bra) - 16.818
48 Hizunomê Bettero (Bra) - 14.905
50 Junior Faria (Bra) - 14.461
53 Leonardo Neves (Bra) - 12.445
63 Wiggolly Dantas (Bra) - 10.379
83 Tomas Hermes (Bra) - 7.924
88 Jano Belo (Bra) - 6.983
95 Ricardo dos Santos (Bra) - 6.326
98 Pablo Paulino (Bra) - 6.001
100 Yuri Sodré (Bra) - 5.909


terça-feira, 18 de outubro de 2011

Rip Curl Pro - Mineirinho é o Rei em SuperTubos.

Por: Alexandre Versiani - 18/10/11 - 15:15 - link fonte:

Adriano de Souza vence Kelly Slater na decisão do histórico Rip Curl Pro em Supertubos. Foto: © ASP / Cestari.


Em um dia para ficar marcado na história do circuito mundial, o brasileiro Adriano de Souza derrotou o norte-americano Kelly Slater na decisão do Rip Curl Pro 2011, encerrado nesta terça-feira na praia de Supertubos, Peniche, Portugal.

Apenas três dias foram necessários para encerrar o evento, válido pela nona etapa do World Tour e realizado em condições fantásticas no poderoso beach break português.
Mineirinho comeu pelas beiradas até apresentar uma atuação espetacular no dia decisivo. Com direito a infiltração no joelho, nota 10 nas quartas-de-final e vitória contra o maior ídolo do esporte na finalíssima.

Nas ondas perfeitas maiores de 2 metros desta terça-feira, ele passou pelo sul-africano Travis Logie na quarta fase, pelo tahitiano Michel Bourez nas quartas e pelo aussie Bede Durbidge na semifinal até encontrar o rival Kelly Slater na decisão.

Logo no primeiro minuto, Mineiro jogou a pressão para o norte-americano depois de conseguir nota 9.00 em um belo tubo de frontside. Kelly parecia nervoso e demorou para encontrar a primeira onda.

Kelly Slater fica com o vice-campeonato e cada vez mais perto do 11º título mundial. Foto: © ASP / Cestari.

Mas o decacampeão mundial e líder do World Tour conseguiu um tubo apertado de frontside, seguido de um floater na finalização, para cravar 6.83 e voltar à disputa.

Pala delírio da torcida brasileira, Adriano fez uma segunda onda de 6.67 e os 7.90 obtidos por Kelly em um canudo de backside não foram suficientes para barrar a segunda vitória de Mineirinho nesta temporada. O placar final ficou em 15.67 a 14.73.

Pela vitória, Adriano de Souza fatura o cheque de US$ 75 mil e 10 mil pontos no ranking do World Tour. Já Kelly leva US$ 30 mil para casa e fica cada vez mais próximo do 11º título mundial com mais 8 mil pontos na conta.

Heitor Maravilha O cearense Heitor Alves também teve um ótimo desempenho no último dia do Rip Curl Pro Portugal. Com um tubaço de nota 9.73, ele superou o norte-americano Damien Hobgood na quinta fase e acabou barrado pelo inspirado Kelly Slater nas quartas.
Heitor mantém a sequência de bons resultados, mesmo depois de deixar a última etapa na França por causa de uma lesão no joelho. Com o quinto lugar em Peniche e os 5.200 pontos no ranking mundial, o brasileiro praticamente se garante na elite depois do corte de final de ano.


Resultado do Rip Curl Pro 2011

1 Adriano de Souza (Bra)
2 Kelly Slater (EUA)
3 Bede Durbidge (Aus)
3 Taj Burrow (Aus)
5 Heitor Alves (Bra)
5 Joel Parkinson (Aus)
5 Michel Bourez (Tah)
5 Julian Wilson (Aus)
9 Chris Davidson (Aus)
9 Damien Hobgood (EUA)
9 Fedrick Patacchia (Haw)
9 John John Florence (Haw)
13 Gabriel Medina (Bra)
25 Jadson André (Bra)
25 Miguel Pupo (Bra)
25 Raoni Monteiro (Bra)
25 Alejo Muniz (Bra)
25 Bruno Santos (Bra)


segunda-feira, 17 de outubro de 2011

Pena Surf Festival Define campeões amadores em Baía Formosa.

por: Jocildo Andrade/ Comunicando Surf – Assessoria de Comunicação - 17/10/11 - 19:00.

Cartaz do Evento - foto: reprodução.


Coroa o novo Rei do Nordeste e Esquenta briga pela liderança entre os pranchões.

Entre os dias 4 e 13 de novembro as direitas mais cobiçadas de todo litoral potiguar que quebram na paradisíaca Baía Formosa serão o cenário para as disputas do Pena Surf Festival, um grande evento que reunirá os melhores atletas amadores da região nordeste, profissionais e longboarders do país.

A prova definirá os títulos de campeões do Circuito Nordestino Amador, o novo Rei do Nordeste, campeão da Tríplice Coroa Pena 2011 e esquentará a briga pelo caneco Brasileiro de Longboard que chega a sua quinta etapa.

Serão três provas com uma mega premiação de 55 mil reais dividida entre o Nordestino Profissional e o Longboard. No Nordestino Amador os atletas Open e Junior sairão com uma moto 0km, o vice Open uma passagem para qualquer lugar da América do Sul e os demais campeões do circuito com passagens para Fernando de Noronha.

Nordestino Amador

O Pena Surf Festival será inaugurado com última etapa do PSN que tradicionalmente há quatro anos é realizado em BF.

Na corrida pela chave das motos 0km estão o local Ítalo Ferreira e o cearense Michael Rodrigues. Ítalo é líder Júnior por uma vantagem de apenas 19 pontos, na Open a situação se inverte, o local da Praia do Futuro e atual campeão brasileiro open está a frente do potiguar com uma vantagem de 190 pontos, os atletas, que são os destaques da nova geração do surf nordestino, prometem encher os olhos do grande público que sempre lota a praia do Pontal.

Ocupam as terceiras posições junior e open outros dois grandes nomes da nova geração do surf no nordeste, os representantes paraibanos Elivelton Santos e José Francisco.

Nordestino Profissional

Encabeçando o ranking profissional está o bicampeão do circuito (2005 e 2009) Edvan Silva, que acumula, em seus melhores resultados, uma vitória na última etapa do ANS e uma no Cearense Profissional que lhe rendeu 1000 pontos no Tour Nordestino. Ele também está na frente na corrida pelo título de Rei do Nordeste com uma vitória e uma nona colocação nas etapas da Pena.

Já Alan Jhones outro integrante da galeria de campeões da ANS com o título conquistado no ano de 2009, aonde a batalha foi muito apertada e decidida apenas na última etapa na Praia do Futuro em Fortaleza no Ceará, é o segundo nome do ranking deste ano e um forte candidato ao título em Baia Formosa, seu parque de diversões no quintal de casa.

John Max, Bino Lopes e Bruno Galini, atual campeão, ocupam a terceira, quarta e quinta posições no calendário 2011 respectivamente.

Integrantes da elite do surf nacional os cinco atuais melhores no ranking coincidentemente surfam na mesma base, de front side para direita, o que os favorecerá um pouco mais nas ondas de BF e na corrida pelo título da etapa e do circuito que chega a sua reta final.

O primeiro Rei do Nordeste foi o baiano de Vilas do Atlântico Bino Lopes, ele ocupa a quarta colocação também da Tríplice Coroa, que premia o melhor atleta nas três etapas da marca Pena com uma passagem para o Hawaii.

Brasileiro de Longboard

O Pena Surf Festival será encerrado em grande estilo com o desafio da quinta etapa do Brasileiro de Longboard que tem como líder o paulista Danilo Rodrigo, o Mulinha, grande fera dos pranchões no País. Na sua cola está o carioca Marcelo Freitas que levantou o troféu em Itacimirim, BA onde a ABL inaugurou suas ações em 2011.

Entre os juniors quem ocupa a ponta do ranking da ABL é o capixaba Felipe Lacerda, que mesmo não tendo disputado a terceira etapa continua com uma grande vantagem sobre o carioca Anderson Silva.

As categorias em disputa da quinta etapa do Circuito Brasileiro de Longboard serão Profissional masculino, Junior, Super máster, Adulto e Máster.

O Pena Surf Festival será transmitido ao vivo através do site www.pena.com.br e conta com o patrocínio do Governo do Estado do Rio Grande no Norte, Prefeitura Municipal de Baía Formosa, Empetur, Seel, Matesa, Filati, Erbele, Starboad, Haco, Blocos Teccel, Pranchas BF. Divulgação:Tropical FM, Rádio Mix, Revistas Fluir e Wave Wind, Sites Vida Surf, Waves, Surf Tv, Surfbyte, Surfbahia, Surfguru e Cearasurf.

Realização: ABRASP, ANS, FESURF e TOP 16 Promoções.

Serviço:

Pena Surf Festival (5° etapa Nordestino amador, 9° etapa Nordestino Pro e 3° Tríplice Coroa e 5° Brasileiro de Longboard)

Local: Baía Formosa – RN

Data: 04 a 13 de novembro

Premiação Profissional: R$ 30.000,00

Premiação Longboard: R$ 25.000,00

Premiação Amador: 2 motos 0km (campeões Open e Junior), 01 passagem qualquer lugar da América o Sul (vice Open), demais categorias passagens para Fernando de Noronha.



INFORMATIVO ABL .

POR:GERALDO CAVALCANTI / PRESIDENTE ABL - 17/10/11 - 18:56.

Foto do carioca Phil Rajzman, campeão mundial de longboard em 2007 - FOTO: POULLENOT (ASP EUROPE)

É MAS UMA VEZ COM GRANDE ALEGRIA QUE VIMOS ATRAVES DESTE,ANUNCIAR MAIS DUAS ETAPAS DO CIRCUITO ABL 2011,SENDO A 5ª ETAPA A SER REALIZADA NOS DIAS 11,12 E 13 DE NOVEMBRO NA PRAIA DE BAIA FORMOSA – RN E A 6ª ETAPA NOS DIAS 18,19 E 20 DE NOVEMBRO NA PRAIA DA MACUMBA – RIO DE JANEIRO.
A 5ª ETAPA DO CIRCUITO ABL ACONTECERA DENTRO DO EVENTO PENA SURF FESTIVAL E A 6ª ETAPA DO CIRCUITO ABL SERA O PETROBRAS LONGBOARD CLASSIC.
DADOS TECNICOS DO PENA SURF FESTIVAL 5ª ETAPA ABL

DATA: 11 A 13 DE NOVEMBRO
LOCAL – BAIA FORMOSA – RN
PREMIAÇÃO – R$ 25.000,00 CATEGORIA PRO-MASCULINO

CATEGORIAS:
PRO-MASCULINO
JUNIOR: BLOCO + KITS
SUPER MASTER: BLOCO + KITS
ADULTO: PRANCHA + KITS
MASTER: PRANCHA + KITS
VALOR DAS INSCRIÇÕES:
PRO-MASCULINO: R$ 135,00
DEMAIS CATEGORIAS: R$ R$ 100,00

AS INSCRIÇÕES JÁ ESTAO ABERTAS E PODERÃO SER FEITAS ATRAVES DA ANS (ASSOCIAÇÃO NORDESTINA DE SURF) BANCO SANTANDER – C/C 13000978-8 AG: 3757 – CNPJ 08573803/0001-47 ; LOGO APÓS O DEPOSITO INFORMAR NOME DO

ATLETA,CATEGORIA E ENVIAR PARA EMAIL ANSSURF@HOTMAIL.COM – PARA NOSSO TOUR MANAGER CARLOS ABDALLA “NÃO ESQUEÇAM VAGAS LIMITADAS”

DADOS TECNICOS DA 6ª ETAPA – PETROBRAS LONGBOARD CLASSIC
DATA: 18 A 20 DE NOVEMBRO
LOCAL: PRAIA DA MACUMBA – RIO DE JANEIRO
PREMIAÇÃO: R$ 25.000,00 PRO – MASCULINO
R$ 5.000,00 PRO – FEMININO
CATEGORIAS :
PRO MASCULINO
PRO FEMININO
SUPER MASTER

INFORMAÇÕES SOBRE INSCRIÇÕES E OUTROS ITENS REFERENTE A 6ª ETAPA ABL,FAVOR ENTRAR EM CONTATO COM RICO SURF.COM OU FONE(21)2438-1821
OBS: ESTAREMOS NA PROXIMA SEGUNDA DIA 17/10/11 DIVULGANDO AS POUSADAS OFICIAIS DO PENA SURF FESTIVAL EM BAIA FORMOSA.

QUANTO A VINDA PARA O EVENTO,BAIA FORMOSA FICA A 90KM DE NATAL(DO LITORAL NORTE) E A 230KM DE RECIFE(LITORAL SUL).QUEM QUISER VIR PARA RECIFE E DAQUI IR DE VAN OU CARRO PARA BF; PODE SER QUE SAIA MAIS BARATO,POIS OS VÔOS PARA RECIFE SÃO BEM MAIS EM CONTA E TEM BEM MAIS OPÇÕES,MAS QUEM QUISER MAIS PRATICIDADE É IR DIRETO PARA NATAL E LA VAMOS PASSAR O CONTATO DO TUNINO,PRESIDENTE DA FEDERAÇÃO DO RIO GRANDE DO NORTE PARA O MESMO INDICAR TRANSPORTE PARA BAIA FORMOSA.

Rip Curl Pro - Heitor à lusitana.

Por: Alexandre Versiani - 17/10/11 16:02 - link fonte:

Heitor Alves garante vaga no quarto round do Rip Curl Pro. Foto: © ASP / Cestari.



O cearense Heitor Alves e o paulista Adriano de Souza seguem vivos na briga pelo título do Rip Curl Pro, nona etapa do World Tour 2011 que acontece em Supertubos, Peniche, Portugal.
Nesta segunda-feira, as ondas quebraram com até 2,5 metros e mais uma vez proporcionaram excelentes condições para a realização de toda a segunda fase e mais oito baterias do terceiro round.

Dos oito brasileiros que começaram o campeonato, apenas Heitor e Mineirinho continuam com chances de conquistar US$ 75 mil de premiação e os 10 mil pontos no ranking oferecidos ao campeão.

Recuperado da lesão que o tirou da última etapa na França, Heitor avançou ao quarto round depois de passar pelo português Tiago Pires na repescagem e o australiano Josh Kerr em um duelo de high scores baixos pela terceira fase.

O brasileiro largou na frente com notas 6.67 e 6.10 em dois tubos de frontside e viu o aussie ameaçar logo na sequência, com 6.53 e 5.67. Mas as séries não vieram mais no período de maré cheia e o brasileiro pôde comemorar a vitória por 12.77 a 12.20.

Adriano de Souza disputa terceira fase e continua na briga pelo título. Foto: © ASP / Cestari.

Já Adriano de Souza foi o carrasco de outro português na fase de repescagem. O paulista venceu o português Justin Mujica depois de controlar bem o drop em dois tubaços de backside no potente beach break lusitano.

Mineiro ainda compete pela terceira fase do evento e é o primeiro a cair na água nesta terça-feira. Ele enfrenta o sul-africano Travis Logie na oitava bateria do round.

Medina fora Destaque do primeiro dia, o paulista Gabriel Medina acabou derrotado pelo australiano Chris Davidson na quarta bateria da terceira fase em um raro duelo de poucas ondas em Supertubos.

Na única chance que teve, Davidson, terceiro colocado na última edição do Rip Curl Pro em Portugal, anotou 8.93 em um longo tubo de backside. Gabriel Medina procurou reverter a situação de todas as maneiras, mas as ondas não apareceram e o placar terminou em 14.10 a 5.10 para o australiano.

Bede Durbidge anota primeiro dez em Supertubos. Foto: © ASP / Cestari.

Duelo nota 10 Os aussies Bede Durbidge e Mick Fanning fizeram uma disputa eletrizante na última bateria do dia. Com direito a primeira nota 10 do campeonato, obtida em um verdadeiro caroço de frontside, Bede eliminou seu compatriota por 18.33 a 17.17 quando o sol e a temperatura começavam a cair na península de Peniche.

Rivalidade aussie Julian Wilson e Kai Otton proporcionaram outra disputa de arrepiar com atletas da Austrália. Em um momento fantástico do mar, os dois anotaram algumas das maiores notas do dia para alegria do público que novamente lotou a praia de Supertubos.
Quem levou a melhor foi Julian Wilson, que somou 19.13 contra 18.40 de Kai Otton. Mas Otton conseguiu a segunda maior nota do campeonato até agora, 9.97, em um tubo de frontside para a esquerda em que só foi aparecer depois da baforada.

Pelas notas obtidas na bateria dá para se ter uma ideia do alto nível do confronto. Enquanto Julian somou 9.70, 9.43, 8.93 e 7.40 em suas melhores ondas, Otton não ficou atrás com 9.97, 8.43, 8.13 e 7.03.

Rumo ao 11º O norte-americano Kelly Slater segue firme na briga pelo décimo primeiro título mundial. No sexto duelo da terceira fase, ele despachou o australiano Daniel Ross ao apostar nos tubos de frontside e finalizar suas ondas com boas manobras na junção.

Kelly Slater segue firme rumo ao décimo primeiro título mundial. Foto: © ASP / Cestari.


Kelly somou 7.00 e 8.93 em suas melhores ondas e contra 4.83 e 8.00 de Daniel Ross. O aussie Owen Wright, seu principal rival na briga pelo título, disputa a última bateria da segunda fase contra o havaiano John John Florence.

John John, inclusive, aplicou o maior somatório do campeonato até o momento, 19.53, em um grande duelo contra Adrian Buchan pela segunda fase. O havaiano usou todo o seu conhecimento nos canudos de Pipeline e Backdoor para derrotar o aussie em Supertubos, que somou 13.97 em suas duas melhores ondas.

Efeito dominó O Brasil sofreu cinco baixas ainda pela segunda fase do Rip Curl Pro. Alejo Muniz, Jadson André, Miguel Pupo, Bruno Santos e Raoni Monteiro perderam suas bateria da repescagem e acabaram eliminados do evento.

Alejo e Miguel venciam até os últimos segundos e tomaram a virada no finalzinho. Enquanto Alejo viu o havaiano Fredrick Patacchia descolar um canudo de 7.93 e vencer por 14.43 a 12.90 na última onda, Miguel tomou a virada na contagem regressiva.

Depois de pular na frente nos últimos cinco minutos de bateria, o paulista já tinha saído da água quando o sul-africano Travis Logie entubou fundo de frontside e conseguiu a vitória por 16.43 a 14.76, praticamente no apito da buzina.

Já Bruno Santos foi derrotado para atual vice-campeão mundial Jordy Smith. Em condições difíceis no pico, ele conseguiu nota 8.50, a maior nota da bateria, mas não fez uma segunda nota boa e perdeu por 15.74 a 10.97.

Jadson André apostou nos canudos de backside, mas o havaiano Dusty Payne conseguiu boas ondas para deixar o brasileiro precisando de 8.93 para vencer. O placar final foi 16.63 a 12.27. Por fim, Raoni Monteiro perdeu para o inspirado aussie Kai Otton em um duelo apertado por 14.97 a 13.93.

As previsões indicam ondas ainda maiores para os próximos dias em Supertubos. Uma nova chamada acontece nesta terça-feira às 4:00 horas (horário de Brasília).

Resultados da segunda fase do Rip Curl Pro 2011

1 Jordy Smith (Afr) 15.74 x Bruno Santos (Bra) 10.97
2 Taj Burrow (Aus) 16.10 x Francisco Alves (Por) 6.57
3 Adriano de Souza (Bra) 16.83 x Justin Mujica (Por) 8.64
4 Michel Bourez (Tah) 16.77 x Adam Melling (Aus) 15.23
5 Fredrick Patacchia (Haw) 14.43 x Alejo Muniz (Bra) 12.90
6 John John Florence (Haw) 19.53 x Adrian Buchan (Aus) 13.97
7 Heitor Alves (Bra) 15.50 x Tiago Pires (Por) 13.20
8 Bede Durbidge (Aus) 16.04 x Kieren Perrow (Aus) 15.87
9 Kai Otton (Aus) 14.97 x Raoni Monteiro (Bra) 13.93
10 Dusty Payne (Haw) 16.63 x Jadson André (Bra) 12.27
11 Travis Logie (Afr) 16.43 x Miguel Pupo (Bra) 14.76
12 Taylor Knox (EUA) 13.73 x Patrick Gudauskas (EUA) 9.30

Terceira fase

1 Taj Burrow (Aus) 13.57 x Brett Simpson (EUA) 8.43
2 Damien Hobgood (EUA) 16.33 x Taylor Knox (EUA) 15.30
3 Julian Wilson (Aus) 19.13 x Kai Otton (Aus) 18.40
4 Chris Davidson (Aus) 14.10 x Gabriel Medina (Bra) 5.10
5 Heitor Alves (Bra) 12.77 x Josh Kerr (Aus) 12.20
6 Kelly Slater (EUA) 17.86 x Daniel Ross (Aus) 16.37
7 Fredrick Patacchia (Haw) 15.06 x Jordy Smith (Afr) 14.90
8 Bede Durbidge (Aus) 18.33 x Mick Fanning (Aus) 17.17

Baterias pendentes da terceira fase

9 Adriano de Souza (Bra) x Travis Logie (Afr)
10 Joel Parkinson (Aus) x Dusty Payne (Haw)
11 Michel Bourez (Tah) x Matt Wilkinson (Aus)
12 Owen Wright (Aus) x John John Florence (Haw)


sábado, 15 de outubro de 2011

SuperSurf Internacional Andino leva o caneco

Por João Carvalho em 15/10/11 - 19:46 - link fonte:http://waves.terra.com.br/surf/fotos//andino-leva-o-caneco/49567

Itamambuca, Ubatuba (SP). Foto: .amambuca, Ubatuba (SP). Foto: .



Uma decisão norte-americana fechou o SuperSurf Internacional em um dia típico da cidade do litoral norte de São Paulo que faz divisa com o estado do Rio de Janeiro.

Com apenas 17 anos de idade, Kolohe Andino faturou o prêmio de US$ 20 mil da vitória na etapa do ASP World 6-Star, neste sábado de muita chuva na praia de Itamambuca.

O vice-campeão foi Tanner Gudauskas, 23 anos, que deixou o surfista local Wiggolly Dantas, 21, nas semifinais. O ubatubense dividiu o terceiro lugar com o pernambucano Halley Batista, 25, barrado pelo campeão Kolohe Andino.

"Estou muito feliz. Eu imaginava chegar às quartas-de-final aqui, mas não esperava vencer, então estou muito feliz mesmo", disse Kolohe Andino. "As condições do mar hoje (sábado), infelizmente, ficaram muito difíceis e acredito que tive sorte nas baterias para conseguir pegar boas ondas. Na final, eu comecei bem e depois fiquei administrando a vantagem, até porque não tinha muitas ondas", disse o campeão.

Na primeira onda, Kolohe começou com um aéreo "no hands" e mandou mais uma série de quatro batidas numa boa esquerda. A nota 7,5 recebida foi a maior da bateria final. Tanner respondeu com um aéreo reverse, mas foi só na onda que valeu nota 5.

Kolohe não demorou a surfar uma direita que abre bem para ele aplicar uma sequência de batidas e rasgadas até o fim da onda que recebeu um 6,83.

Com estas duas notas, a nova sensação do surfe americano estabeleceu o placar da vitória por 14,33 x 11,33 pontos. A decisão do SuperSurf Internacional acabou valendo a 34a posição no ranking que classifica os 32 primeiros para o ASP Dream Tour de 2012.

Kolohe Andino ficou com os 3.500 pontos da vitória e Tanner Gudauskas subiu do 42o para o 38o lugar com os 2.640 pontos do vice-campeonato.

"É um prazer fazer uma final e dividir um pódio com o Tanner (Gudauskas), que é lá da Califórnia também como eu. É a primeira vez que eu venho aqui para Itamambuca, fiquei esta semana toda na casa do Guigui (Wiggolly Dantas) e até achei que a final seria com ele. Para nós, era improvável uma final americana aqui com tantos brasileiros bons, como o Halley (Batista) que estava se destacando nas ondas de hoje", disse o filho de um ex-competidor do ASP World Tour, Dino Andino.

Para chegar à final, Kolohe passou em segundo lugar no primeiro confronto do dia, quando Halley Batista surfou a melhor onda do sábado - nota 9,10. Depois, o californiano ganhou um duelo direto por vagas para o G-32 do ASP World Ranking contra o paulista Thiago Camarão (41o) nas quartas-de-final.

E na semifinal, vingou a derrota sofrida para Halley Batista. Já Tanner despachou dois paulistas nas fases decisivas, Alex Ribeiro nas quartas e Wiggolly Dantas na semifinal.
Tanner também ficou feliz com o resultado, apesar de ter ganho só metade do prêmio oferecido para o campeão, US$ 10 mil.

"Pena que logo hoje o mar ficou menor e depois que a maré encheu as condições se tornaram mais difíceis ainda", lamentou Tanner. "Mesmo assim, estou feliz por ter feito a final. Tentei de tudo para vencer, mas não foi possível. Quase todas as ondas fechavam rápido ou não abriam, então parabéns para o Kolohe, que mereceu mesmo a vitória porque surfou as melhores ondas da bateria".

Apenas três estrangeiros chegaram ao sábado decisivo do SuperSurf Internacional, com nove brasileiros. O australiano Mitch Crews foi eliminado por Halley Batista na abertura das quartas, mas ninguém conseguiu parar os dois representantes dos Estados Unidos.
Depois de duas grandes apresentações, o cometa Halley do Nordeste não achou as ondas contra Kolohe Andino na primeira semifinal.

Halley Batista, SuperSurf Internacional 2011, ItPódio, SuperSurf Internacional 2011,

"Infelizmente o mar baixou para as semifinais e a maré mais cheia dificultou meu posicionamento, mas foi feita a vontade de Deus", disse Halley Batista. "O terceiro lugar também foi bom pra mim. Deu para subir posições no ranking e agora é buscar mais um bom resultado no Arpoador na semana que vem. Preciso disso pra atingir a meta que é ficar entre os 96 primeiros do ranking neste ano, para poder correr as etapas Prime do ano que vem", comentou Batista.

Depois, mesmo contando com toda a torcida da família que tem um comércio de alimentos em Itamambuca, Wiggolly Dantas não conseguiu impedir uma decisão americana na sua praia.

"Não deu, o mar estava muito difícil, eu não consegui pegar as ondas boas no começo e perdi", lamentou Dantas. "Mas, o terceiro lugar também é um bom resultado. Surfei bem à vontade, em casa, agora tem outros campeonatos importantes até o final do ano e vou treinar bastante para tentar subir ainda mais no ranking", disse o local.

Wiggolly Dantas saiu da 78a para a 64a posição no ranking mundial unificado da ASP, enquanto Halley Batista saltou de 189 para 128 com os 2.080 pontos do terceiro lugar no SuperSurf Internacional, que valeu um prêmio de US$ 5 mil.

Derrotados nas quartas, os paulistas Thiago Camarão e Alex Ribeiro, o catarinense Tomas Hermes e o australiano Mitch Crews, receberam US$ 2.850 mil e 1.560 pontos pelo quinto lugar.

A "perna brasileira" de fim de ano da ASP South America agora segue para o Rio de Janeiro, onde na terça-feira começa outra etapa com nível 6 estrelas de US$ 145 mil valendo 3.500 pontos no ranking mundial.

O Quiksilver Brasil Open of Surfing vai até outro domingo na praia do Arpoador, onde será definido o campeão sul-americano profissional da temporada 2011 no ASP South America Surf Series.

Resultado do SuperSurf Internacinal 2011

1 Kolohe Andino (EUA)
2 Tanner Gudauskas (EUA)
3 Halley Batista (Bra)
3 Wiggolly Dantas (Bra)
5 Mitch Crews (Aus)
5 Thiago Camarão (Bra)
5 Tomas Hermes (Bra)
5 Alex Ribeiro (Bra)
9 Junior Faria (Bra)
9 Rodrigo Dornelles (Bra)
9 Franklin Serpa (Bra)
9 Jano Belo (Bra)

G-32 do ASP World Ranking 2011 depois de 40 etapas

1 Kelly Slater (EUA) - 71.000 pontos
2 Jordy Smith (Afr) - 52.225
3 Owen Wright (Aus) - 50.900
4 Taj Burrow (Aus) - 45.070
5 Julian Wilson (Aus) - 44.156
6 Jeremy Flores (Fra) - 43.950
7 Joel Parkinson (Aus) - 43.457
8 Adriano de Souza (Bra) - 38.450
9 Gabriel Medina (Bra) - 36.620
10 Damien Hobgood (EUA) - 35.820
11 Michel Bourez (Tah) - 35.450
12 Mick Fanning (Aus) - 35.399
13 Alejo Muniz (Bra) - 35.199
14 Adrian Buchan (Aus) - 34.141
15 Josh Kerr (Aus) - 33.999
16 Heitor Alves (Bra) - 31.445
17 Bede Durbidge (Aus) - 29.763
18 Raoni Monteiro (Bra) - 27.845
19 Matt Wilkinson (Aus) - 27.650
20 Jadson André (Bra) - 25.640
21 Miguel Pupo (Bra) - 24.753
22 Patrick Gudauskas (EUA) - 24.270
23 Chris Davidson (Aus) - 23.708
24 Travis Logie (Afr) - 23.117
25 Taylor Knox (EUA) - 24.300
26 Dusty Payne (Haw) - 21.975
27 C. J. Hobgood (EUA) - 21.700
28 Kai Otton (Aus) - 21.650
29 Brett Simpson (EUA) - 21.600
30 Yadin Nicol (Aus) - 21.371
31 Kieren Perrow (Aus) - 20.900
32 Tiago Pires (Por) - 20.516
40 Willian Cardoso (Bra) - 18.393 pontos
41 Thiago Camarão (Bra) - 18.118
42 Jessé Mendes (Bra) - 17.982
49 Junior Faria (Bra) - 14.461
52 Hizunomê Bettero (Bra) - 12.965
58 Leonardo Neves (Bra) - 11.314
64 Wiggolly Dantas (Bra) - 10.379
87 Tomas Hermes (Bra) - 7.504
88 Jano Belo (Bra) - 7.151



quarta-feira, 12 de outubro de 2011

Quiksilver Pro - Medina, o super herói.

Gabriel, de apenas 17 anos, comemora sua primeira vitória na elite mundial. Foto: © ASP / Kirstin.

Com uma campanha sensacional, o jovem paulista Gabriel Medina, de apenas 17 anos, levou a taça do Quiksilver Pro France, etapa do World Tour encerrada nesta quarta-feira, em boas ondas de 1 metro em Hossegor, França.

O garoto prodígio revelado na praia de Maresias, São Sebastião, mais uma vez levou o público ao delírio na costa francesa, onde já havia faturado o Quiksilver King of The Groms, o Pro Junior e uma etapa 6 estrelas em Lacanau.

Gabriel Medina conquista título emocionante no Quiksilver Pro em Hossegor, França. Foto: Quiksilver.

Desta vez, contra os principais talentos de todo o mundo, ele mostrou que não está para brincadeiras na elite e subiu ao topo do pódio em sua segunda participação como top do World Tour.

Depois de ficar em 13o em Trestles, Califórnia (EUA), Medina embolsou US$ 75 mil pela expressiva vitória em Hossegor.

Na final, ele venceu o australiano Julian Wilson de forma emocionante, virando na última onda. Medina tinha 7.83 no somatório e virou com 9.17. Julian vinha bem com 8.50 e 7.50 no somatório, mas o dia era mesmo do brasileiro, melhor surfista do campeonato.

"Esta é a melhor sensação que já tive. Venci alguns dos melhores caras no caminho à final e estou muito amarradão agora. Eu quero agradecer a todos os meus amigos, minha famíla e Deus pelo suporte. Foi uma semana incrível para mim. Há apenas dois anos, eu estava competindo no King of the Groms e venci o evento. Agora estou aqui no evento principal e venci. Não parece ser verdade".

"O início da bateria foi devagar e a maré estava enchendo, então isso foi um desafio. Foi uma bateria divertida e muita dura. Julian (Wilson) é um incrível surfista e eu sabia que ele queria muito vencer. Eu sabia que precisava de uma nota alta na última onda, então tive de fazer de tudo e consegui. Estou muito feliz!".

Apesar de muito abalado com virada de Gabriel na última onda, Julian Wilson reconheceu o talento do brazuca e comemorou o vice na França.

"Estou muito feliz por estar aqui no pódio. Foi um ótimo evento para mim e parabéns a Gabriel por essa incrível campanha aqui na França. Eu tenho muitas lembranças incríveis deste evento desde garoto, vendo Andy e Kelly vencendo. Estar nele agora é uma sensação especial. Espero melhorar nos próximos eventos e agora vamos para Portugal".

Olé em Slater Primeiro ele passou pelo dez vezes campeão mundial Kelly Slater nas quartas-de-final. Depois de ser injustiçado na quarta fase, perdendo para Slater de forma polêmica, o paulista deu o troco com juros e correção monetária.

Medina deixou o adversário desnorteado e dominou o duelo com notas 7.33 e 9.33, dando-se ao luxo descartar 6.83 e 6.27, notas superiores aos 3.33 e 5.27 obtidos pelo melhor surfista de todos os tempos.

"Eu acho que ele surfou bem e, infelizmente, eu estava fora de sintonia o tempo todo e realmente não tive a chance de batalhar com ele", lamenta Slater.

Nota 10 Quem também ficou em "combination" foi o californiano Taylor Knox, na semifinal. Com uma performance ainda mais avassaladora, Medina extrapolou nos aéreos e acertou uma rabetada espetacular.

Em um dos aéreos, arrancou a primeira nota máxima da competição. Para completar o show, somou 9.57 e descartou 8.17, 6.17 e 5.00.

Medina Airlines Taylor Knox bem que tentou e até arrancou 6.27 e 7.00 dos juízes. Em situação de desespero com o incrível show do jovem brasileiro, até fez uma interferência de forma proposital em Medina, que não deu mole e ainda trocou de base na onda para divertir o público.

"Este é um dos melhores eventos que tive até o momento, mas eu defitivamente caí diante de "Medina Airlines" nas semifinais", brinca Knox, 40 anos.

Alejo Muniz é quinto colocado. Foto: Divugação Quiksilver.

Alejo Outro brasileiro que brilhou na França foi o catarinense Alejo Muniz. O surfista de Bombinhas travou uma dura batalha com o sul-africano Jordy Smith nas quartas e chegou a liderar o confronto durante boa parte do tempo com 6.67 e 7.10.

Porém, com notas 7.23 e 8.03, o sul-africano tirou o brazuca da briga e seguiu para encarar Julian Wilson na semi.

Resultado do Quiksilver Pro France 2011

1 Gabriel Medina (Bra)
2 Julian Wilson (Aus)
3 Taylor Knox (EUA)
3 Jordy Smith (Afr)
5 Alejo Muniz (Bra)
5 Kelly Slater (EUA)
5 Taj Burrow (Aus)
5 Michel Bourez (Tah)
9 Miguel Pupo (Bra)
13 Jadson André (Bra)
25 Raoni Monteiro (Bra)
25 Adriano de Souza (Bra)


segunda-feira, 10 de outubro de 2011

Quiksilver Pro Confira vídeo do domingo.

Por Redação Waves - 09/10/11 22:20 - link fonte:


O paulista Gabriel Medina e o catarinense Alejo Muniz levaram o Brasil à quarta fase do Quiksilver Pro France, etapa do World Tour que rola em Hossegor, França.

Clique aqui para ver a reportagem completa

A dupla fez bonito neste domingo, em boas ondas de 1 metro e séries maiores. Medina conseguiu uma virada emocionante nos minutos finais contra o aussie Bede Durbidge, enquanto Alejo levou a melhor no confronto verde-amarelo contra Jadson André.

Circuito Gold island Surf Master movimenta Maraca.

Por ASMPE - 10/10/11 - 14:44.

Alagoano Klinger Peixoto, grande campeão na master, e levando grana no bolso, foto Regis Galvão.


Em boas ondas de até 3 pés, foi dado continuidade ao Circuito Gold Island Pernambucano Master 2011, que já está em seu sexto ano, com a segunda etapa realizada na praia de Maracaípe. Após um sábado disputado em condições um pouco pequenas, o domingo final foi presenteado com boas ondas, abrindo para os dois lados, para definir os campeões da segunda etapa do Circuito.

Crescendo a cada nova etapa e sempre com um ambiente de confraternização, o campeonato novamente registrou ótimo número de inscritos com vários atletas vindos de diversos estados prestigiando o evento, além de um grande público presente para acompanhar o show de surf.
Fernando Pereira, destaque na final da master,surfando com a prancha sem bico,foto Regis Galvão.

Na principal categoria em disputa, a Master (35 anos +), o vencedor foi o alagoano Klinger Peixoto, que dominou toda o embate deixando outro alagoano, um paraibano e um local para trás: Otávio Lima, Fred Vilela e Fernando Pereira, em segundo, terceiro e quarto, respectivamente.

Grande campeão da master, alagoano Klinger Peixoto,foto Regis Galvão.

Klinger, que fez sua estréia na categoria Master, começou com o pé direito. “É uma pena eu não ter corrido a primeira etapa na categoria Máster, mas estou muito feliz de já começar vencendo e vou correr as outras etapas em busca do título. Queria agradecer a toda a organização do evento que foi muito legal e num clima de amizade e descontração”, falou Peixoto, campeão Máster da segunda etapa

Um dos destaques do dia aconteceu na final da categoria Grand Master (40 anos +), com o potiguar João Maria vencendo pela segunda vez consecutiva e disparando no ranking Grand Master. João protagonizou uma disputa acirrada com o alagoano Fred Vilela, mostrando mais uma vez um surf de alto nível competitivo. Fred, em sua segunda final do dia, bem que tentou, mas foi João Maria que sagrou-se vencedor da bateria que teve o próprio Fred em segundo, Severino Santos em terceiro, e o pernambucano Fernando Santos em quarto.

O campeão na categoria dos “Dinoussauros”, denominda Kahuna, para surfistas com mais de 45 anos, foi o um dos grandes destaques no Brasileiro Master, o experiente, cearense Cardoso Jr, que surfou fluido e radical. Em segundo ficou o pernambucano Zé Radiola, seguido pelos conterrâneos Fernando Balaço e Renner Ferreira.
Campeão da senior, Julio Pereira, foto Regis Galvão.

Na categoria Senior (28 anos +), o domínio foi pernambucano, com Júlio Pereira surfando muito e levando a melhor em cima do campeão da etapa anterior, o potiguar Emanuel de Souza.

Numa troca de lideranças alucinante com Emanuel, Júlio venceu a baterial final, a qual também teve a presença do paraibano Paulo Germano e do alagoano Gilberto Araújo, terceiro e quarto respectivamente. Outro grande destaque da Serior foi o pernambucano Washington Martins,com um bom tubo nas esquerdas, e marcou a maior nota do campeonato, 8,17.

Campeão do longboard, Romualdo Nascimento.foto Regis Galvão.

Entre os pranchões, na categoria Longboard, tudo terminou com uma final caseira entre quatro pernambucanos, onde o vencedor foi Romualdo Nascimento e o vice, Carlão Silveira, seguidos por Gel Lima e Roustaing Lopes. Na categoria dos “pirralhos”, a final entre os Inciantes foi bem acirrada, onde Guilherme Carvalho levou o caneco, seguido de Cauã Nunes, Tarcísio William e André Labanca. Na categoria Stand Up, outro pernambucano chegou ao topo, com Carlão Silveira sendo campeão entre os pranchões a remo. Em segundo ficou Carlos Chalaça, com Daniel O´Brien e Rico Renno em terceiro e quarto, respectivamente.

Washington Marins da Abreus,fez a maior nota do evento, foto Regis Galvão.

A ASMPE gostaria de agradecer especialmente a toda a equipe de produção de Beri Santana, que garantiram o sucesso da realização da etapa como muita eficiência e profissionalismo.

O Circuito Pernambucano Gold Island Surf Master tem patrocínio da Gold Island e Abreus Surf Wear.

CO-PATROCINIO
WAVE LAND, REPÚBLICA DO SURF, LONG ISLAND, REAL MAGIA e FREEBOARD.

APOIO:
WaveGrip, Vereador Olavo Aguiar, Relevos, deputado estadual João Fernando, Rotator, Bar do Marcão, Surf Point, Pousada do Raí, Pousada e Privê Maracaipe, Pousada Brisas, Fome Zero Lanches Leves, Federação Pernambucana de Surf, Ripple, Marakasurf, Natural Art, Bob Nick, Teccel

Surfenordeste.com.br, Surfguru.com.br, Portodosurf.blogspot.com, Cearasurf.com.br, Surfbyte.com.br, Ondulação.com.br, Waves.com.br, Abreusurf.com.br, Goldisland.com.br, Surfcore.com.br, Surfpe.blogspot.com, Surfcupe.com.br

Acesse www.surfbyte.com.br e veja como ficou o ranking após essa 2 etapa do circuito Gold Island Surf Master 2011, uma realização da A.S.M.PE (Associação Surf Master de Pernambuco)
ATENCIOSAMENTE

Presidente daA.S.M.PE (Associação Surf Master de Pernambuco)
Fabio Quencas.

Quiksilver Pro - Dupla da pesada.

Por Redação Waves - 09/10/11 - 13:17 - link fonte:

Alejo Muniz vence Jadson André na terceira fase do Quiksilver Pro France. Foto: © ASP / Kirstin.

O paulista Gabriel Medina e o catarinense Alejo Muniz levaram o Brasil à quarta fase do Quiksilver Pro France, etapa do World Tour que rola em Hossegor, França.

A dupla fez bonito neste domingo, em boas ondas de 1 metro e séries maiores. Medina conseguiu uma virada emocionante nos minutos finais contra o aussie Bede Durbidge, enquanto Alejo levou a melhor no confronto verde-amarelo contra Jadson André.

Além de Jadson, o Brasil perdeu Miguel Pupo e Raoni Monteiro. Pupo começou bem o dia, vencendo Raoni por apenas 1 décimo de diferença (12.70 a 12.60).

Gabriel Medina consegue virada emocionante na França. Foto: Quiksilver.


Raoni precisava de 5.87 para virar o duelo e conseguiu 5.77 na última onda.

Depois de bater Raoni numa bateria acirrada, o paulista não resistiu ao australiano Julian Wilson na fase seguinte e perdeu por 13.33 a 7.07 pontos.

Também na terceira fase, Alejo atacou muito bem as direitas para arrancar 6.50 e 6.10 na vitória contra Jadson, autor de apenas 4.83 e 3.93.

Já Medina achou uma esquerda salvadora faltando pouco mais de dois minutos para o término. O surfista de 17 anos abriu a onda com um belo aéreo rodando, segurou uma batida na junção e conectou até o inside para finalizar seu trabalho com 7.73.

Na quarta fase, o jovem brasileiro enfrenta o aussie Adrian Buchan e o dez vezes campeão mundial Kelly Slater, que não teve trabalho algum para derrotar o jovem marroquino Ramzi Boukhiam.

Já Alejo mede forças com o sul-africano Jordy Smith e o australiano Julian Wilson em outro duelo que promete pegar fogo.


Billabong Brasileiro Navarro garante dobradinha.

Por: Chico Padilha - 10/10/11 - 13:50 - link fonte:

Matheus Navarro, Billabong Brasileiro Amador 2011, praia de Quintão, Palmares do Sul (RS). Foto: Sérgio Aguiar.


A quarta e última etapa do Billabong Brasileiro de Surf 2011, válido pelo Circuito Brasileiro Amador, foi encerrada no último domingo na praia de Quintão, Palmares do Sul (RS).
O catarinense Matheus Navarro, a carioca Isabela Lima e o paulista Igor Morais foram os grandes destaques do evento. Eles faturaram os títulos da etapa e do circuito na categoria Júnior Masculino, Júnior Feminino (sub-18) e Iniciantes, respectivamente.

Na Mirim (Sub-16), o carioca Lucas Silveira já havia garantido o título brasileiro por antecipação, mas quem levou a melhor na etapa foi novamente Igor Morais.

Na Open, o cearense Michael Rodrigues já tinha confirmado o título do circuito no sábado. Quem saiu com o troféu da etapa no Quintão foi o carioca Matheus Faria.

No Feminino Open, Evelyn Conceição venceu a final sem a presença da potiguar já campeã Gilvanilta Ferreira. Carol Fernandes ficou em segundo, Marina Rezende em terceiro e Isabela Lima na quarta posição.

Na disputa por equipes melhor para São Paulo. Santa Catarina ficou em segundo, Rio de Janeiro em terceiro e Paraíba na quarta posição.

Resultados da última etapa do Billabong Brasileiro de Surf 2011

Feminino Júnior

1 Isabela Lima (RJ)
2 Carol Fernandes (RJ)
3 Wendy Guimarães (RJ)
4 Marina Rezende (SC)

Mirim

1 Igor Morais (SP)
2 Lucas Silveira (RJ)
3 Iago Dora (SC)
4 Luan Wood (SC)

Open Feminino

1 Evelyn Conceição (SC)
2 Carol Fernandes (RJ)
3 Marina Rezende (SC)
4 Isabela Lima (RJ)

Júnior

1 Matheus Navarro (SC)
2 Wesley Santos (SP)
3 Cainã Barletta (SC)
4 Rafael Teixeira (ES)

Iniciantes

1 Igor Morais (SP)
2 Matheus Rodrigues (RJ)
3 André Heiden (SC)
4 Luy Arman (RS)

Open

1 Matheus Faria (RJ)
2 Diego Michereff (SC)
3 Cainã Barletta (SC)
4 Michael Rodrigues (CE)

Equipes

1 Santa Catarina
2 Rio de Janeiro
3 São Paulo
4 Espírito Santo

Ranking final depois de quatro etapas

Feminino Júnior

1 Isabela Lima (RJ) - 2.800 pontos
2 Carol Fernandes (RJ) - 2.456
3 Marina Resende (SC) - 2.385
4 Estefany Freitas (CE) - 2.116

Mirim

1 Lucas Silveira (RJ) - 2.900
2 Elivelton Santos (PB) - 2.710
3 Igor Morais (SP) - 2.341
4 Luan Wood (SC) - 2.041

Open Feminino

1 Gilvanilta Ferreira (RN) - 3.000
2 Estefany Freitas (CE) - 2.439
3 Marina Resende (SC) - 2.366
4 Isabela lima (RJ) - 2.114

Júnior

1 Matheus Navarro (SC) - 2.656
2 Michael Rodrigues (CE) - 2.466
3 Deivid Silva (SP) - 2.341
4 Elivelton Santos (PB) - 2.230

Iniciantes

1 Igor Morais (SP) - 2.800
2 Gustavo Ramos (SC) - 2.276
3 André Heiden (SC) - 2.268
4 Rafael Venuto (RJ) - 2.122

Open

1 Michael Rodrigues (CE) - 2.539
2 Diego Michereff (SC) - 2.429
3 Matheus Faria (RJ) - 2.182
4 Deivid Silva (SP) - 1.861

Equipes

1 São Paulo - 3.610
2 Santa Catarina - 3.466
3 Rio de Janeiro - 3.095
4 Paraíba - 2.909


Estadual do Rio Messias é o cara

Por :Pedro Monteiro - 10/10/11 - 13:24 - link fonte:http://waves.terra.com.br/surf/fotos//messias-e-o-cara/49457

Messias Félix, Arnette Matte Leão Rio Surf Pro 2011, São Conrado (RJ). Foto: Pedro Monteiro.


A segunda etapa do Arnette Matte Leão Rio Surf Pro 2011, transferida para as ondas do São Conrado, conheceu seu campeão neste domingo, com ondas de meio metro e boa formação.
O cearense Messias Felix voou alto na final e surfando com total domínio das manobras aéreas venceu seu conterrâneo Pablo Paulino que, também mandava boas manobras modernas e terminou em segundo lugar.

Logo na primeira onda, Messias mandou um aéreo muito alto e recebeu a nota 8,93. Menos de um minuto depois, Messias pegou outra onda excelente e fechou o caixão de seus adversários.
Na segunda onda, Messias fez a nota 7,43 e venceu mais um grande evento na cidade. Messias foi consagrado campeão brasileiro na Barra da Tijuca em 2009.

“Estou muito feliz. Essa onda é muito boa. O Rio sempre tem uma ondinha boa”, disse, o surfista. “O máximo que fico direto aqui no Rio são três meses, mas toda hora eu venho há mais de oito anos. Meu shaper, Thiago Cunha, mora aqui e sempre venho para treinar e fazer minhas pranchas”, completou, Messias.

A disputa final contou somente com um integrante da cidade maravilhosa. Igor Morais foi o representante carioca. Campeão estadual em 2010, o atleta não encontrou boas ondas na final e terminou em quarto lugar.

O terceiro colocado na final, Jano Belo, continua na liderança do circuito estadual. Morando no Rio há cinco anos, o surfista paraibano já se acostumou com a rotina da cidade.
“O Rio é diferente. Tem ondas de todo tipo. Eu já tinha surfado essa onda de São Conrado. Aqui dá altos tubos e a galera local é de paz”, disse, Jano.

A decisão de mudar o local da competição partiu da organização do evento e, mais uma vez, a Adding Sport e a Federação Estadual do Rio de Janeiro mostraram que um evento de surf deve ser feito com ondas de qualidade. Nem que para isso, tenha-se que adaptar a logística às condições climáticas.

“Nunca vamos deixar de finalizar um evento. Trabalhamos com a natureza e é preciso se adaptar à ela. O mais importante para o campeonato é ter boas ondas. Grandes ou pequenas, mas não podem faltar”, disse Sergio Lindemann, da organização de prova.

O evento é especial de nível 3A do Circuito Brasileiro Profissional e oferece 1000 pontos no ranking Brasil Tour ao vencedor e R$ 30 mil em prêmios, sendo R$ 8 mil para o campeão da etapa. No final da temporada, o número 1 do Circuito garante uma vaga na elite do surfe nacional em 2012.?